Home EXAMES

Pesquisas de Corpo Inteiro

INFORMAÇÕES AO PACIENTE SOBRE O EXAME DE PESQUISA DE CORPO INTEIRO (PCI)

O que é PCI?
O termo PCI consiste na abreviatura de “Pesquisa de Corpo Inteiro”, e como o próprio nome descreve representa qualquer exame de medicina nuclear que faça um rastreamento (ou avaliação diagnóstica) do corpo como um todo. Portanto, o procedimento “PCI" pode abarcar diversas aplicações, sempre relacionado com o radiotraçador utilizado.
Apenas como ilustração, existem inúmeros radiotraçadores além do iodo radioativo empregados para PCIs, tais como o sestamibi-99mTc e octreotide-111In para tumores específicos, leucócitos-HMPAO-99mTc para processos infecciosos e citrato de gálio-67 para certos linfomas e processo inflamatórios/infecciosos.
As informações contidas nesse tópico são relacionadas a PCI com iodo radioativo (radioiodo), sendo o mais utilizado o iodo-131 (131I).

Para que serve o exame?
É indicada para avaliação de pacientes com carcinoma bem diferenciado da tireóide. Os carcinomas bem diferenciados da tireóide, portanto, a PCI com radioiodo pode ser indicada para:

  • Avaliação inicial, após a cirurgia de retirada da tireóide, com objetivo de avaliar a presença de tecido iodo-concentrante remanescente e possível acometimento de outros órgãos;
  • Avaliação após a dose terapêutica do iodo-131, também denominada de PCI pós-dose terapêutica, sendo em geral realizada 4 a 10 dias após o tratamento;
  • Seguimento de médio a longo prazo de pacientes tratados, tanto para fins de controle ou na suspeita de recidiva (= reaparecimento) da doença, podendo ou não ser associado ao estímulo com TSH recombinante humano e/ou dosagens sanguíneas de tireoglobulina.
    * atualmente, através de consensos internacionais, a maioria dos especialistas envolvidos no tratamento de carcinoma bem diferenciado da tireóide preferem não realizar a PCI pré-dose terapêutica de iodo-131, baseando-se em outros parâmetros para cálculo da dose terapêutica (ex.: idade, características histológicas, tamanho e grau de invasão do tumor, etc.), devendo ser realizado na sequência a PCI pós-dose terapêutica.

O exame é seguro?
Sim. Os riscos são mínimos e relacionados apenas a probabilidade de reação adversa a medicamentos (incluindo reação alérgica), sendo o rubor cutâneo temporário (pele avermelhada) a reação mais verificada, não se observando nenhuma reação grave que necessite de hospitalização ou que cause sequela para saúde. Nos casos de indivíduos com relato de “alergia ao iodo”, não existe relação de reação adversa ou alérgica grave com as doses habitualmente empregadas na PCI com radioiodo. Como curiosidade, a quantidade de átomos de iodo na dose empregada na PCI é menor que a quantidade encontrada na dieta habitual (inclusive no nosso sal, que por lei é iodado), e muito menor que a quantidade de iodo contido nos contrastes iodados da urografia, tomografia e cateterismo cardíaco. Apenas para comparação, o risco de reação adversa relacionada aos exames de medicina nuclear chega a ser até 1.000 vezes menor que o risco de reação aos contrastes iodados utilizados nas radiografias e tomografias contrastadas.
Importante:
Lembre-se: o exame é contra-indicado em mulheres gestantes ou em amamentação. Caso esteja amamentando, deve-se suspender a amamentação e o contato íntimo com a criança por no mínimo 8 dias após o exame PCI. Dependendo do radiotraçador utilizado o tempo pode variar, devendo ser consultado o médico nuclear para decisão adequada.

Quais são as principais recomendações para o exame?

  • Exige-se um preparo específico para PCI com radioiodo, semelhante ao preparo para dose terapêutica;
  • Após o preparo, deve-se colher exame de sangue para dosar o hormônio TSH (responsável por aumentar a captação do iodo), que deverá estar acima de 25 – 30 mU/l;
  • Jejum de 4 horas no dia marcado para administração por via oral do radioiodo;
  • Jejum por mais 2 horas após a ingestão do radioiodo (tempo necessário para adequada absorção pelo estômago);
  • Para adequado preparo intestinal, a equipe do CERMEN prescreverá uso de laxantes na véspera do exame;
  • Tome um banho de corpo inteiro na véspera ou dia marcado para exame;
  • Procure vestir roupas confortáveis, sem excessos de botões ou peças metálicas;
  • Não é necessário vir de bexiga cheia, recomenda-se beber líquidos e urinar com frequência;
  • Se tiver, traga exames recentes relacionados com seu caso (cintilografias/PCIs prévias, radiografias, tomografias, ressonância, ecografias, biópsias, relatórios médicos).

Como é realizada a PCI com radioiodo?
Após realizar todas as etapas de preparo e verificar níveis adequados de TSH sanguíneo, a PCI será realizada nos serviços de medicina nuclear do CERMEN na data e horário previamente agendados.

  • Administração por via oral (indolor, sem agulhas ou injeções) de dose diagnóstica de iodo-131, sem riscos ou efeitos colaterais significativos. O volume a ser ingerido é muito pequeno, equivalente a um gole;
  • Após a ingestão do radioiodo o (a) paciente retornará após 24 ou 48 horas a até 96 horas para realização das imagens, sendo o número de dias de retorno decididos para cada situação pela equipe do CERMEN. O horário de retorno para realização das imagens no aparelho de medicina nuclear será fornecido no dia pela equipe técnica;
  • Neste intervalo procure ingerir líquidos para estimular a micção e eliminar a parcela de dose que não foi retida pelo organismo. Deve-se tomar muito cuidado para não respingar urina nas roupas ou no próprio corpo, pois a presença desta urina com traços radioativos poderá atrapalhar na hora de adquirir as imagens;
  • Não se esquecer do banho de corpo inteiro e laxante previamente prescrito pela nossa equipe médica;
  • O tempo para adquirir as imagens de PCI é em torno de 60 - 90 minutos no primeiro dia, variando de 15 a 60 minutos nos dias subseqüentes;