Home EXAMES

Densitometria Óssea

INFORMAÇÕES AO PACIENTE SOBRE O EXAME DE DENSITOMETRIA ÓSSEA

O que é densitometria óssea?
Resumidamente, o método baseia-se na quantidade de raios-X que determinado volume ósseo consegue atenuar, ou seja, quanto mais denso for esse osso, mais raio-X será atenuado e vice-versa. Partindo deste princípio básico, os aparelhos de densitometria óssea permitem a avaliação da densidade mineral do osso, em especial da coluna lombar e do quadril direito (fêmur) para fornecer informações a respeito da massa óssea, principalmente em comparação ao adulto-jovem saudável (referência de massa óssea normal).

Para que serve o exame?
Como já dito, a densitometria óssea permite a avaliação da densidade mineral do osso. No processo natural de envelhecimento, é esperada uma queda gradativa na densidade dos ossos, entretanto, principalmente nas mulheres pós-menopausa ou em uso de certos medicamentos, pode ocorrer uma maior velocidade na perda de massa óssea, acarretando em maior risco de fraturas por insuficiência óssea, dentre as mais preocupantes as do quadril (colo femoral). Para avaliar de maneira sensível e precoce essa perda anormal de massa óssea, que em geral é assintomática, realiza-se a densitometria óssea, com o objetivo principal de evitar fraturas por insuficiência e suas complicações.

Apenas como informação, em geral a densitometria está indicada nas seguintes situações:
  • Mulheres abaixo de 65 anos pós-menopausa que tenham um ou mais fatores de risco;
  • Todas as mulheres a partir de 65 anos, independente dos fatores de risco;
  • Ocorrência de fraturas em mulheres pós-menopausa, principalmente quadril, coluna e punho para investigar osteoporose como fator causal;
  • Mulheres com terapia de reposição hormonal prolongada;
  • Homens acima de 65-70 anos, principalmente com fatores de risco associados;
  • Controle de pacientes com diagnóstico prévio de osteopenia ou osteoporose.
A portaria nº 1.327 do Ministério da Saúde (novembro de1999) passou a incluir a densitometria óssea no âmbito do Sistema Único de Saúde/SUS, estabelecendo para sua indicação os seguintes critérios:
  • Evidências radiológicas de osteopenia ou fraturas vertebrais;
  • Diminuição de estatura, cifose torácica;
  • Fratura prévia por trauma mínimo ou sem trauma;
  • Uso prolongado de corticóides;
  • Hipogonadismo em homens e mulheres, incluindo mulheres na pós-menopausa, que apresentem fatores de risco;
  • História materna de osteoporose ou fratura de colo femoral;
  • Índice de massa corporal menor que 19, passado de estados prolongados de baixa ingestão de cálcio;
  • Monitoramento das mudanças da massa óssea decorrente da evolução da doença e dos diferentes tratamentos disponíveis da osteoporose.
Nos Estados Unidos o sistema de saúde (“Medicare”) custeia a densitometria para:
  • Mulheres estrógeno-deficientes, com risco clínico para osteoporose;
  • Pacientes com anomalias vertebrais, como fraturas nas radiografias;
  • Pacientes recebendo corticoterapia prolongada;
  • Para casos de hiperparatireodismo primário;
  • Pacientes participantes de estudos de eficácia de uma droga aprovada para a osteoporose.

O exame é seguro?
A densitometria óssea utiliza-se de doses mínimas de radiação, sem risco significativo para a saúde. Não existe risco de reação adversa, uma vez que não se emprega qualquer tipo de medicamento, contraste ou radiotraçador. O exame é indolor e sem procedimentos invasivos (sem uso de agulhas, cateteres, sondas ou incisões).
Lembre-se: o exame é contra-indicado em mulheres gestantes ou em amamentação. Caso esteja amamentando, deve-se suspender a amamentação e o contato íntimo com a criança por no mínimo 24 horas após o exame.

Quais são as principais recomendações para o exame?

  • Não é necessário jejum. Alimente-se normalmente;
  • Se possuir, traga seus exames anteriores de densitometria óssea;
  • Qualquer medicação que contenha cálcio deve ser suspensa por 24 horas antes da data agendada para o exame;
  • Não realizar exames com contrastes radiológicos (bário, iodo, lipiodol) por pelo menos 48 horas antes da data agendada para o exame;
  • Não realizar exames de medicina nuclear com injeção de radiotraçadores, principalmente para cintilografia óssea, por pelo menos 24 horas antes da data agendada;
  • Procure vestir roupas confortáveis e sem excesso de objetos metálicos, principalmente na região lombar e de cintura.

Como é realizado o exame?
Aferição do peso e altura, com posterior posicionamento para a realização da densitometria da coluna lombar e do quadril (fêmur) direito.
O procedimento tem duração de 30 a 40 minutos.